Antro Particular

10 novembro 2008

Complexo Sistema no jornal AGORA

clique sobre a imagem para ampliá-la.

2 Comments:

  • Obrigado, Ruy!

    Aqui abaixo há um dos comentários mais concretos e conscientes que li sobre meu espetáculo.

    Um raciocínio muito claro e de muita valia pra mim.

    Obrigado, de coração!

    Eric Lenate, diretor de
    "o céu 5 minutos antes da tempestade"

    By Anonymous Lenate, at 2:12 PM  

  • Oi, Eric.

    Não nos conhecemos, eu acho (minha memória não passa de um amigo traiçoeiro!).

    Fico feliz que tenha lido a crítica. Muitas vezes a limitação da dimensão do texto o deixa duro e aparentemente cruel (ainda que o Guia da Semana não tenha mais determinado tamanho, sabemos que artigos de internet necessitam ser mais breves pela prórpia configuração de seu público). Eu sei. E entendo isso.

    Mas o intuito maior é VERDADEIRAMENTE trazer um pouco de reflexão crítica ao artista. Torná-la absoluta seria uma enorme insegurança. Trata-se de instrumento de diálogo, apenas.

    Saber que meu texto, minhas indagações, servirão de alguma maneira para apontar questões despercebidas, faz sentir-me aliviado por duas circunstâncias: ter sido compreendido e ter efetivamente servido à função.

    Sinto constante falta desses apontamentos em meus trabalhos. Hoje, a crítica se esvai com enorme facilidade e se encarrega muito cedo sobre os pontos positivos de um trabalho. Como se qualquer questionamento ferisse a alma artística da obra. Bobagem. Precisamos de reflexões que tragam à tona o que o envolvimento com o processo nos cegou (e isso acontece muito mais do que imaginamos), assim como de certo antagonismo (sem qualquer conteúdo destrutivo, apenas dialético), pois são desses aspectos que poderemos buscar melhoras e crescimentos, sejam pela evolução concordante ou mesmo pela necessidade de responder pela negação.

    Enfim, Eric, fico muito feliz que tenha compreendido. Isso te mostra um jovem mais maduro do que os que perambulam pelos teatros desesperadamente em busca pelo sucesso.

    Siga, sempre. Continue.

    Apenas quem se arrisca, apenas os que conseguem fazer de um trabalho o argumento de uma arte, correm o risco de cometer erros.

    E, particularmente, preocupo-me, como artista, em estar sempre nesse limite do possível erro. Afinal, essa a graça e a importância do que fazemos...

    Beijos, obrigado pelo comentário.
    RUY FILHO

    By Blogger Ruy Filho, at 2:52 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home