Antro Particular

29 setembro 2008

FIM DE ENTULHO

Entulho chegara ao fim.

Obrigado a todos os visitantes, os discursos apaixonados, conversas, emails dos que assistiram, dos que não puderam e mesmo assim trataram de estar junto de alguma maneira. Nada é mais importante que o diálogo. Conduzir um grupo tão heterogêneo não é fácil. E não há como descrever o quanto o prazer tem sido infinitamente maior do que as dificuldades.

Obrigado aos atores da cia. Giuliana, Raiani, Carol, Gabriela e Tiago pelo suporte e eficiência em tornar Entulho nosso cartão de visita ao teatro. Nada disso seria possível não fosse a paciência e generosidade de vocês.

Diego, querido, que tanto inquieta nossa rotina. Substituto (re)criador. Não há como agradecer o que fizeste. Que outro usaria um momento único para dedicá-lo a outro? Suas mãos no rosto do Guilherme eram também as minhas no seu.

Gui, dirigir é, muitas vezes, tomar decisões impossíveis. E você me mostrou estar certo em iniciar nossa trajetória com sua arte. A cumplicidade em tornar de todos um trabalho que poderia ser apenas teu. Obrigado por suas gentilezas, pelo empenho.

Priscila, a quem devo tudo isso. Muito, muito obrigado por ter-me aceito desde a noite em que nos conhecemos.

E, ainda, Gustavo, que tanto tem conduzido a todos a um aprimoramento de suas capacidades, e a quem espero logo poder trazer aos nossos palcos.

Fred, suas fotos deram o rosto e cor à cia. Sinta-se sempre bem-vindo.

Alexandre, enfim nossa aproximação. E como esse primeiro contato revelou o quanto precisamos de seus conselhos.

Obrigado também Flávia e Cris Fusco. Muito de tudo isso é parte da eficiência do trabalho de vocês. Espero estarmos junto no próximo e próximo e sempre.

Kiki, Guga e toda a Rio Verde, o que dizer? Com que adjetivos agradecer a quem nos deu o primeiro sopro?

E, sobretudo, Patrícia. Sempre. Pelo delicado e inteligente trabalho que tanto acresceu à identidade do espetáculo e da própria cia. Por me questionar todo o tempo. Por me revelar o óbvio. Por me traduzir o impercebível. Te amo também por isso. Pela artista que é. Por ser a menina a sorrir e alegrar nossas reuniões. Por ser a mulher ao meu lado.

Fim de Entulho. Sigamos ao próximo: Complexo Sistema de Enfraquecimento da Sensibilidade.

A vida se justifica por momentos de histórias...

4 Comments:

  • É sempre difícil partir, seguir em frente e abandonar o que se construiu.Mas é muito instigante se reencontrar em um novo trabalho.
    Merda, né?
    Beijos,
    Diego Torraca

    By Blogger Diego Torraca, at 7:00 AM  

  • Passei o dia todo tentando encontrar palavras, mas... nada é melhor que viver tudo isso com você!!
    Ops! Agora V O C Ê S !!
    A família aumentou!
    Espero que o Frame não fique com ciúmes...
    TE AMO, RUY!!
    Irresistível...

    By Anonymous PATRÍCIA CIVIDANES, at 8:09 PM  

  • Obrigada, Ruy.
    É sempre uma crise trabalhar com você! rsrs
    Beijo,

    By Anonymous Priscila, at 1:11 AM  

  • Ao ver aquele entulho na última apresentação uma lágrima caiu,pois ao redor dele uma cia. inteira desfrutando dos últimos momentos...e olhando para cada um me senti segura.Estou no lugar certo,acredito em cada palavra e em cada sorriso dessas pessoas...vamos lá...temos mais 999,pelo menos,peças para fazer,assim "diz" o livrinho que a Paty fez...
    obrigada Ruy pela delicadesa que tem comigo neste momento furacão da vida e por ser o diretor-amigo que é...
    valeu cia. e Gorski por compartilharem comigo a arte de vcs...
    bjusss

    By Anonymous RAI, at 10:46 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home