Antro Particular

07 dezembro 2005

EUROPA: entre a Otan e o Hezbolá, os versos de um dia horrível

Postado na hospedagem anterior do blog na quinta-feira, 7 de julho de 2005
22:46:06


08h50 - O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jaap de Hoop Scheffer, condenou energicamente os atentados a meios de transporte em Londres desta quinta-feira, pedindo que a Aliança permaneça unida para combater o terrorismo.

08h51 - O presidente do Parlamento Europeu, Josep Borrell, enviou "condolências" pelos "atos de barbárie" vinculados com ataques terroristas em Londres. "Em nome do Parlamento, quero expressar nossas condolências para todos aqueles que sofreram as conseqüências destos atos de barbárie", disse Borrell.

08h59 - O papa Bento XVI condenou nesta quinta-feira os atentados desumanos cometidos nos transportes públicos de Londres e manifestou sua solidariedade com as vítimas, informou o Vaticano.

09h04 - O governo espanhol condenou nesta quinta-feira "com toda sua força" os "atentados selvagens" cometidos em Londres e expressou sua "mais profunda" solidariedade com a população da cidade e com o governo do Reino Unido.

09h15 - O presidente da França, Jacques Chirac, manifestou ao primeiro-ministro britânico Tony Blair seu "horror" e "total solidariedade" após os atentados a meios de transportes londrinos nesta quinta-feira, destacou o porta-voz da Presidência.

09h18 - "Não permitiremos que a violência mude nossa sociedade nem nossos valores', afirmou há pouco o primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, em nome de todo o G8.

09h33 - "Nós defendemos os direito humanos e a liberadade. A luta contra o terrorismo vai continuar", afirmou o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

09h42 - O prefeito de Londres, Ken Livinstone, disse que está voltando a Londres nas próximas horas. "Este não foi um ataque terrorista contra os poderosos e ricos. Foi um ataque contra os trabalhadores de Londres."

10h05 - A rainha Elizabeth II, "em nome da nação inteira", expressa em um comunicado seus pêsames às vítimas das explosões. Os "atentados terroristas" cometidos em Londres deixaram "profundamente comovidos" os britânicos, declara.

10h09 - "Quero mostrar minha solidariedade profunda a todo provo britânico, principalmente aos habitantes de Londres. O governo francês está à disposição das autoridades britânicas", diz o primeiro-ministro França, Dominique de Villepin.

10h21 - "Isto é terrorismo e violência perpetrados contra gente comum. É simplesmente uma marca negra na sociedade, um golpe devastador nas pessoas. Trata-se de uma enorme emergência. De um dia terrível e triste", diz primeiro-ministro da Irlanda, Bertie Ahern.

10h22 - "A Espanha, que sofreu o flagelo do terrorismo, tanto nacional quanto internacional por anos, oferece sua imediata e incondicional ajuda, bem como todo o apoio ao Reino Unido para a perseguição dos criminosos que promoveram esse ataque repulsivo", diz o premiê da Espanha, José Luis Rodrigues Zapatero.

10h23 - "Um fato terrível pode acontecer a qualquer momento. Não podemos baixar a guarda. Estamos trabalhando todos os dias, e de forma coordenada em todos os países da UE. Infelizmente, há vezes em que não se pode impedir que (um atentado) aconteça", declara o chefe da diplomacia da União Européia, Javier Solana.

10h24 - "Temos a trágica confirmação de que o terrorismo mais uma vez atingiu o coração da Europa e o coração de um país que detém a presidência da União (Européia) e do G8", diz o comissário europeu de Justiça e Segurança, Franco Frattini.

10h28 - "O terrorismo é um mal que ameaça todos os países da Europa. Uma vigorosa cooperação na União Européia e em nível mundial é crucial a fim de encarar esse mal", diz o primeiro-ministro da Holanda, Jan Peter Balkenende.

10h30 - "A violência de qualquer tipo é inaceitável, qualquer ação fora do marco das instituições democráticas é inaceitável. Não é aceitável que pessoas inocentes, crianças e adultos, sofram em Londres, ou em qualquer lugar do mundo, por causa do terror inaceitável promovido por alguns poucos", declara o primeiro-ministro da Hungria, Ferenc Gyurcsany.

11h14 - O presidente de Portugal, Jorge Sampaio, envia mensagens de condolências à rainha Elizabeth II da Inglaterra e ao primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, após os "desprezíveis atentados terroristas" registrados em Londres.

11h21 - O presidente italiano, Carlo Azeglio Ciampi, condena os atentados cometidos em Londres hoje e manifesta sua "consternação e horror" pela perda de "tantas vidas humanas e a devastação causada pela barbárie do terrorismo".

11h26 - O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, condena o "terrível e desprezível" atentado de hoje em Londres, e pede que a comunidade internacional "intensifique a luta contra esta ameaça até que ela seja varrida da Terra".

12h21 - Os atentados em Londres provocam reações de choque e solidariedade nas capitais do Oriente Médio. "Nós sentimos que não estamos mais seguros em lugar nenhum do mundo", diz, por exemplo, a professora libanesa Samira Murr, em Beirute.

12h24 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva expressa o seu pesar ao primeiro-ministro britânico, Tony Blair, por conta da série de ataques que ocorreram na capital britânica.

Em Gleneagles, onde me encontro para participar de reunião do G8, tomei conhecimento, com profunda consternação, dos atentados ocorridos na manhã de hoje (quinta-feira) em Londres, que causaram a perda de vidas inocentes e feriram dezenas de pessoas.
O Brasil expressa sua mais firme condenação a mais essa deplorável ação terrorista.
Em nome do Governo brasileiro e no meu próprio, apresentei as mais sinceras condolências ao primeiro-ministro Tony Blair e ao governo do Reino Unido e manifesto minha sentida solidariedade com o sofrimento das famílias das vítimas.


12h27 - O presidente e o secretário-geral da Interpol (polícia internacional), Jackie Selebi e Ronald Noble, respectivamente, lamentam os atentados cometidos em Londres e anunciam seu "total apoio" ao Reino Unido, cujos pedidos receberão tratamento "prioritário".

13h18 - O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira que as explosões em Londres mostraram que o mundo não está fazendo o suficiente para combater o "terrorismo".

13h40 - O primeiro-ministro Ariel Sharon transmite ao Reino Unido "sua comoção e a do Governo de Israel pelo tremendo crime perpetrado contra cidadãos britânicos", afirma a rádio pública israelense.

14h16 - O Conselho de Segurança da ONU adota uma resolução de condenação aos atentados de hoje em Londres, na qual reafirma a disposição dos países-membros a aumentar seus esforços para combater o terrorismo.

14h42 - A organização xiita Hezbolá (Partido de Deus), incluída na lista de organizações terroristas de Washington, condena os atentados cometidos em Londres e diz que essas ações vão contra os valores do ser humano.

as informações foram acompanhadas ao vivo pelo site Terra.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home